Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/13858
Título: O potencial translacional dos biomarcadores na abordagem da leucoplasia oral
Autor: Rocha, Francisco de Almeida
Orientador: Mendes, Rui Amaral
Palavras-chave: oncogénese oral
desordens orais potencialmente malignas
leucoplasia oral
displasia epitelial oral
biomarcadores
oral oncogenesis
oral potentially malignant disorders
oral leukoplakia
oral epithelial dysplasia
biomarkers
Data de Defesa: 30-Ago-2013
Resumo: O cancro como neoplasia maligna representa a proliferação dismórfica e contínua de células nativas de um determinado órgão, conduzindo à invasão tecidular e metastização à distância. O aparecimento destas desordens patológicas resulta de um processo fisiopatológico associado a anormalidades genéticas e epigenéticas, que originam populações celulares clonais com alterações nos mecanismos de sobrevivência. Apesar de todos os avanços tecnológicos e dos conhecimentos disponíveis para a abordagem do cancro oral, a sua mortalidade apresenta números bastante elevados, sendo superior à registada em outras patologias malignas, como o cancro do colo do útero, mama ou cólon. No que à cavidade oral diz respeito, a potencial translação do transcriptoma para a prática clínica, permitirá diminuir a morbilidade e mortalidade do cancro oral, através do diagnóstico precoce de desordens orais potencialmente malignas, como a leucoplasia oral. Atualmente, o diagnóstico diferencial entre lesões orais benignas reativas/inflamatórias e desordens orais potencialmente malignas baseia-se em exames histológicos de espécimenes biopsados, por existência de lesões clinicamente suspeitas. Além disso, o diagnóstico histológico de displasia epitelial é subjetivo e sujeito a diferentes interpretações, estando apenas a sua existência presumivelmente relacionada com o risco aumentado de transformação maligna. Os estudos bioquímicos e moleculares, conhecidos e praticados nos dias de hoje, servem como pedestal para uma classificação clínica mais verosímil, que poderá predizer com maior exatidão o potencial maligno. São necessários biomarcadores moleculares capazes de identificar a fisiopatologia de cada uma das desordens orais potencialmente malignas, em particular a leucoplasia oral, para eliminar os dilemas do diagnóstico clínico e histológico, corrigir diagnósticos diferenciais, assim como reconhecer fatores de risco que permitam averiguar a suscetibilidade individual à neoplasia maligna oral. Os médicos dentistas devem integrar nas suas faculdades básicas o diagnóstico tão precoce quanto possível de desordens orais potencialmente malignas, classificando os seus estadiamentos através de evidência científica sensível, específica e universal. O objetivo deste plano de estudos à escala global passa pela personalização e otimização dos cuidados médicos.
Cancer such as malignant neoplasm represents a dysmorphic continuous native cells proliferation of a given organ, able of tissue invasion and metastization. The onset of these pathological conditions is a result of a physiopathological process with genetic and epigenetic alterations, which lead to foundation of clonal cell populations with selective growth modifications. Despite all the technological advances and the background knowledge available to oral cancer management, its mortality shows alarming higher than other malignant pathologies, such as cancer of the cervix, breast or colon. With respect to the oral cavity, the potential of the transcriptome translation into clinical practice will reduce morbidity and mortality of oral cancer, since objectify the early diagnosis of oral potentially malignant disorders, such as oral leukoplakia. Currently, differential diagnosis between benign oral reactive/inflammatory lesions and oral potentially malignant disorders has been based on histological examination of biopsied specimens by mere existence of suspected lesions. Moreover, histological diagnosis of dysplasia is subjective and is only related to the increased risk of malignant transformation. Biochemical studies and molecular knowledge practiced today, serve as a pedestal for a clinical classification more likely that may more accurately predict the potential malignant. It takes molecular biomarkers capable of identifying the pathophysiology of each of these oral potentially malignant disorders, particularly leukoplakia, to eliminate these dilemmas in clinical diagnosis, correct differential diagnoses, as well as recognize risk factors in order to verify the individual susceptibility to oral malignancy. Dentists should integrate in their basic skills the earliest possible diagnosis of oral potentially malignant disorders, classifying their staging through validated scientific evidence. The major objective of this study plan goes through customization and optimization of medical care.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/13858
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
DCSV - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.