Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/13775
Título: Vinculação paterna ao feto : ansiedade e perceção da qualidade
Autor: Gonçalves, Rosália Marina Teixeira
Orientador: Costa, Eleonora
Trovisqueira, Ana Margarida
Palavras-chave: Vinculação Paterna Pré-Natal
Ansiedade
Qualidade da Relação Conjugal
Linking Paternal Prenatal Anxiety
Quality of the Marital Relationship
Data de Defesa: 18-Dez-2013
Resumo: O estado de gravidez, fisicamente condicionado à mulher, não exclui o envolvimento do pai, particularmente na gestação. De facto, a vinculação do pai ao feto inicia na gravidez mostrando muitos homens o seu envolvimento através da interação com o feto na barriga, do apoio emocional à gestante e pela presença nas consultas obstétricas. Este vínculo considerado um vínculo de carácter indireto mediado pela mãe, desenvolve-se através das representações internas feitas ao longo da gravidez. O presente estudo, descritivo transversal, teve como objetivo principal caraterizar uma amostra de homens durante o período de gravidez da companheira ao nível da vinculação pré-natal, ansiedade e qualidade do relacionamento conjugal. A amostra foi constituída por 61 homens companheiros de utentes grávidas do ACES do Alto Ave. Foram utilizadas as versões portuguesas do Antenatal Emotional Attachement Scale, State-Trait Anxiety Inventory e Relationshiop Questionnaire. Os resultados indicaram que durante o período gestacional os participantes apresentam vinculação forte e saudável ao feto, níveis de ansiedade estado mais baixos do que ansiedade traço e percecionam mais positivamente a relação conjugal do que negativamente. Verificouse que os participantes mais velhos apresentam uma qualidade de vinculação ao feto inferior e uma perceção mais negativa da relação conjugal do que os mais novos. Estes dados indicam a necessidade de novas investigações neste âmbito para uma melhor compreensão do período pré-natal na perspetiva masculina.
The state of pregnancy, physically conditioned to woman, does not exclude the involvement of the father, particularly during pregnancy. The bond between father and fetus starts at the beginning of the gestational period, demonstrating males this involvement through interaction with their companion’s belly, emotional support to the pregnant and presence in obstetric visits. This bond is considered an direct link mediated by mother nature, developed through internal representations made throughout pregnancy. This cross sectional study intends, an main goal, to characterize a sample of men, future fathers during thin companion’s pregnancy in terms of prenatal entailment, anxiety and quality of marital relationship. The sample consisted of 61 men pregnant fellow users of ACES Alto. Portuguese versions of the Antenatal Emotional Attachment Scale, State-Trait Anxiety Inventory and Relationship Questionnaire were used as research tools. The results indicated that during the gestational period participants revealed a strong and healthy attachment to fetus, levels of state anxiety lower than trait anxiety as well as the perception of more positive than negative aspects in marital relationship. It was also demonstrated that older participants have a lower quality bond to the fetus and a more negative perception of the marital relationship. These data indicate the need for further.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/13775
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
FF - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese PDF.pdf1,03 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.