Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/13199
Título: Quando os santos recolhem ao leito: mística, santidade e modernidade em Portugal entre os séculos XVII e XX
Autor: Ribeiro, António Vitor
Palavras-chave: Santidade
Interioridade
Piedade Vitimal
Sacrifício
Modernidade
Holiness
Interiority
Victim piety
Sacrifice
Modernity
Data: 2013
Editora: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa
Citação: RIBEIRO, António Vitor – Quando os santos recolhem ao leito: mística, santidade e modernidade em Portugal entre os séculos XVII e XX. Lusitania Sacra. Lisboa. ISSN 0076-1508. 2ª S. 28 (Jul. - Dez. 2013) 119‑152
Resumo: Este estudo pretende investigar as razões profundas para uma mutação essencial no modelo de santidade em Portugal durante o século XVII. Essa mutação, que é bastante nítida nos processos inquisitoriais de falsa santidade, teve lugar em meados do século e consistiu numa interiorização da vivência mística, em detrimento de manifestações exteriores. O corpo inanimado do alegado santo impõe se a partir daí como signo e única forma de manifestação externa, substituindo se parcialmente às visões, locuções e outros favores divinos. Esta “somatização” da mística resultou em grande medida do processo de interiorização trazido pela chamada “modernidade”, na qual têm destaque a autobiografia, a confissão e a direção espiritual. Ao mesmo tempo, o final do século XVII trouxe o fenómeno da marginalização da mística, levando a que este género de manifestações se confinasse às camadas populares, principalmente camponesas, transmitindo uma falsa ideia de arcaísmo a um fenómeno que era, na sua essência, um produto historicamente recente.
This study intends to explore a deep change in the pattern of holiness in Portugal in the seventeenth century. This change, which seems clear in inquisitorial records of trials for false holiness, took place during the mid‑seventeenth century and consisted of an increasing internalization of the mystical experience, as opposed to an externally expressed one. The saint’s inanimate body imposes itself as sign and sole form of external manifestation, gradually replacing more traditional features, such as visions, inspired conversations and other divine favours This “somatization” of mysticism was, in a large extent, the outcome of the self ‑awareness process brought by the so‑called “modernity”, where confession, spiritual guidance and autobiography have played a major role. At the same time, the end of the seventeenth century saw the marginalization of mysticism, confining mystic phenomena to the popular, mostly rural social strata, and assigning a false idea of archaism to a phenomenon which was essentially historically modern.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/13199
ISSN: 0076-1508
Aparece nas colecções:RLS - Tomo 028 (2013)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
LS_2013(28)_119-152.pdf314,77 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.