Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/12639
Título: Competências do familiar cuidador da pessoa com doença oncológica em quimioterapia
Autor: Moreira, Isabel Maria Pinheiro Borges
Orientador: Sousa, Paulino Artur Ferreira de
Palavras-chave: Cuidador familiar
papel de prestador de cuidados
competências
cancro
quimioterapia
cuidar em casa
transição
role of care provider
skills
cancer
chemotherapy
care at home
transition
Data de Defesa: Out-2012
Resumo: Cuidar da pessoa com doença oncológica no domicílio, representa para o cuidador familiar prestar cuidados a alguém a quem está ligado emocionalmente e que vive um período de intenso sofrimento e que implica a mobilização de conhecimentos e habilidades que vão, muitas vezes, para além do seu reportório. Esta realidade social constitui o fulcro para o desenvolvimento desta pesquisa conduzida a partir da questão: Como é que o membro da família, na transição para o papel de prestador de cuidados, constrói as competências para cuidar da pessoa com doença oncológica em quimioterapia? A finalidade deste estudo é expandir o conhecimento acerca da construção de competências por parte do membro da família, na transição para o papel de prestador de cuidados. Assentámos a condução da investigação nos pressupostos metodológicos da Grounded Theory e recorremos ao estudo de multicasos, considerando como caso, o membro da família prestador de cuidados e a pessoa em quimioterapia. O trabalho de campo foi realizado num hospital de dia de oncologia após autorização da Comissão de Ética para a Saúde e do Conselho de Administração do Hospital. Os dados recolhidos por entrevista e observação foram tratados com recurso ao programa informático NVivo 8. O trabalho de teorização derivado dos dados revelou-nos a natureza e o processo de construção de competências do membro da família prestador de cuidados. A natureza da construção de competências alicerçou-se em seis categorias major: as respostas do membro da família prestador de cuidados; as respostas da pessoa em quimioterapia; o padrão de cuidados; as exigências da situação; os processos e subprocessos e o cuidado de enfermagem. O processo de construção revelou-se dinâmico, ocorreu ao longo do tempo e implicou reajustes pessoais, familiares e do espaço doméstico, de modo a responder às necessidades da pessoa e do processo de cuidar. Nele interferiram as características individuais da díade, o suporte dos pares e agentes sociais, as condições, o status funcional da pessoa e a complexidade dos cuidados. Este foi singular a cada contexto e marcado pela incerteza e pelo sofrimento. No percurso cuidativo os membros da família prestadores de cuidados viram-se impulsionados a procurar informação e recursos que sustentassem as suas atividades para responder às necessidades dos seus familiares. A construção de competências, que emerge como a categoria central ao reunir todas as outras, está ancorada numa dimensão pessoal (auto desenvolvimento) e numa educacional (mediada pelo enfermeiro) em que as componentes emocional e afetiva, são significativas. A construção do modelo fez subressair aspetos que conduziram à expansão do modelo de Schumacher. Os aspetos contextuais emergem como um elemento determinante. A variação do processo de construção de competências surge não só entre as díades, mas também em cada díade na trajetória da doença/tratamento, afigurando-se os recursos emocionais como significativos na ação. É ainda patente o novo padrão de cuidados - padrão em rede e a relevância que o cuidado de enfermagem desempenha na mediação deste processo.
Taking care of the cancer patient at home, means that the family caregiver provides care to someone to whom is emotionally connected, and that is living a period of intense suffering - a situation that requires the mobilization of knowledge and skills, that are often beyond the caregiver’s repertoire. This social reality is the focus for the development of the present research, which poses the question: How does the family member, fits into role of caregiver and builds up the skills to take care of the person with cancer, on chemotherapy? The purpose of this study is to expand the knowledge about the construction of skills, by the family member, on the transition to the caregiver role. Our research was conducted under the methodological assumptions of the Grounded Theory, applying the multi-case study approach, considering as a case, the family member caregiver and the patient on chemotherapy. Fieldwork was carried out in an oncology day hospital, upon approval of the Ethics Committee for Health and of the Board of Directors of the Hospital. Data, collected by interview and observation, were processed using the computer program NVivo 8. The working theory derived from the data revealed to us the nature and process of building up skills, developed by the family member caregiver. The nature of the construction of skills was based into six major categories, namely: the responses of the family member caregiver; the responses of the person on chemotherapy; the standard of care; situational demands; processes and sub-processes and the nursing care. The construction process proved to be dynamic, occurred over time and required personal readjustments, of the family and of the domestic space, in order to meet the needs of the person and of the health care process. To the construction process contributed the individual characteristics of the dyad, the support of peers and social agents, the conditions, the functional status of the person and the complexity of the caregiving process. This was unique to each context and marked by uncertainty and suffering. In the course of the caring process, family member caregivers found themselves driven to seek information and resources to sustain their activities, in order to meet the needs of their relatives. The construction of skills, which emerges as the core category by bringing together all the others, is rooted in a personal dimension (self-development) and in an educational dimension (mediated by the nurse) in which the components emotional and affective, are significant. The construction of the model highlighted aspects that led to the expansion of Schumacher model. The contextual aspects emerge as a decisive factor. The variation of the process of skill construction arises not only from the dyads, but also in each dyad within the trajectory of illness/treatment, being the emotional resources meaningful for action. It is also noticeable a new standard of care - the standard networking and the relevance that nursing care plays in the mediation of this process.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/12639
Aparece nas colecções:ICS(L) - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses
R - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE.pdf5,79 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.