Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/12524
Título: O papel das estruturas de Gestão Intermédia na inclusão dos alunos com NEE no ensino secundário
Autor: Matos, Cristina Maria da Rocha
Orientador: Campos, Sofia
Salgueiro, João Esteves
Palavras-chave: Lideranças Intermédias
Escolaridade Obrigatória
Alunos com NEE
Inclusão
Middle Leadership
Compulsory Education
Pupils with Special Needs
Inclusion
Data de Defesa: 10-Out-2012
Resumo: Com a aplicação da Lei n.º 85/2009, de 27 de Agosto, a escolaridade obrigatória, em Portugal, passa de 9 para 12 anos. Esta lei aplica-se também aos alunos com NEE pelo que, no ano letivo de 2012/2013, as escolas secundárias terão estes alunos nas turmas de 10.º ano. O papel desempenhado pelas lideranças intermédias nas organizações escolares pode ser determinante no sucesso da inclusão de alunos com NEE no ensino secundário. Contudo, paralelamente, estas lideranças sentem fortemente o aparecimento de mais dois problemas suplementares: a constituição de mega agrupamentos e os exames nacionais. Foi neste quadro de redobrado complexidade que, com base num estudo descritivo, realizámos esta investigação num Agrupamento de Escolas do Distrito de Viseu que tem em funcionamento uma Unidade de Multideficiência e Surdo Cegueira Congénita. Procurámos saber de que forma as estruturas de gestão intermédia, estão a preparar a chegada destes alunos ao ensino secundário e quais os constrangimentos e os fatores potenciadores de sucesso percecionados por estas estruturas de gestão intermédia. Entre os constrangimentos apontados pelas lideranças intermédias, destacamos a legislação, a falta de recursos materiais, financeiros e humanos, as mentalidades e a enorme dificuldade de trabalhar com os alunos com NEE em contexto de sala de aula. No respeitante aos fatores potenciadores de sucesso encontram-se, por exemplo, a existência da Unidade de Multideficiência e Surdo Cegueira Congénita, as parcerias estabelecidas pelo agrupamento e o extraordinário envolvimento por parte da autarquia.
With the application of Law n. º 85/2009 of 27 August, compulsory education in Portugal passes from 9 to 12 years. This law also applies to pupils with special education needs so that, in academic year 2012/2013, secondary schools will have these students in classes of 10th Grade. The role of middle leadership in school organizations can be determinant in the successful inclusion of pupils with special education needs in secondary education. However, in parallel, these leaders come up currently grappling with two additional problems: the creation of mega-schools and national examinations. It was in this context of redoubled complexity that, based on a descriptive study, we performed in a group of schools in the District of Viseu which has a unit in operation for multi Congenital Blindness and Deaf, we sought to know how the middle management structures are preparing the arrival of pupils with special education needs to secondary education and which are the constraints and the potentiating factors for success perceived by the middle management structures. Among the constraints pointed out by the middle leadership, we highlight legislation, lack of material, financial and human resources, mentalities and the enormous difficulty of working with pupils with special education needs in the classroom context. Concerning to success enhancer factors we found, for example, the existence of the Unit for multi Congenital Blindness and Deaf, the partnerships established by the grouping schools and the extraordinary involvement of the local autarchy.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/12524
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
DEGS - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.