Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/11621
Título: Perceção do tempo - estimação do tempo em músicos profissionais
Autor: Monteiro, Carolina Lopes Vale Cardoso
Orientador: Silva, Carlos Fernandes da
Soares, Sandra
Palavras-chave: estimação de tempo
músico
perceção de tempo
neuropsicologia
time estimation
musician
time perception
neuropsicologia
Data de Defesa: 2012
Resumo: Este estudo investigou a diferença de tempo prospetivo de estimações temporais verbais existentes entre músicos profissionais e não músicos para durações iguais. Esperava-se que os músicos profissionais tivessem um melhor desempenho. No estudo participaram 16 músicos profissionais e 16 não músicos que tiveram muito pouco ou nenhum contacto com a música ao longo da vida. Foi utilizada uma tarefa comportamental computadorizada para medir a precisão da estimação temporal, através da modalidade auditiva, bem como a quantidade de subestimações e sobrestimações. A tarefa temporal era acompanhada por uma tarefa não temporal simultânea para evitar os efeitos de contagem internos dos participantes. Para explorar os resultados procedeu-se a uma análise estatística através de comparação de médias e associações entre variáveis. Os resultados das diferenças entre os dois grupos foram estatisticamente significativos e indicaram que os músicos profissionais foram mais precisos a estimar os intervalos de tempo do que os não músicos. A maior quantidade de erros temporais deveu-se a subestimações, tanto nos músicos como nos não músicos. Estes resultados apoiam as descobertas relativas às diferenças cerebrais funcionais e estruturais entre músicos e não músicos, bem como os estudos que relatam que o tempo parece passar a uma velocidade mais rápida quando se está ocupado com uma tarefa. O treino intensivo de música ao longo da vida pode melhorar a capacidade de estimação de tempo, permitindo um melhor desempenho nas capacidades de gestão de tempo e organização da vida diária.
This study investigated prospective time differences of verbal estimations between professional musicians and non-musicians for equal durations. It was expected that professional musicians had a better performance. Sixteen professional musicians and 16 non-musicians with little to no contact with music throughout their lives participated in this study. A behavioral task computed to measure time estimation precision was used, through auditory modality, as well as the amount of underestimations and overestimations. The temporal task was implemented together with a non-temporal task to avoid the effects of internal count of the participants. To explore the results, a statistical analysis was held via means of comparisons and relations between variables. The differences between the two groups were statistically significant and showed that professional musicians were more accurate estimating time intervals than non-musicians. The largest amount of temporal errors was due to underestimations both in musicians and non-musicians and not overestimations. This results support previous findings concerning functional and structural brain differences between musicians and non-musicians as well as studies reporting time passing faster during involvement with a task. Intensive music training throughout life can improve time estimation capability, allowing a better performance in time management and daily life organization.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/11621
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
ICS(L) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Carolina Monteiro - Perceção do tempo.pdf886,98 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.