Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/11514
Título: A retórica dos projetos, as singularidades organizacionais e as lógicas de ação
Autor: Sérgio, Ana de Lurdes Videira
Matias Alves, José
Palavras-chave: Escola
Autonomia
Projetos
Supervisão
Data: 2011
Editora: Universidade Católica Editora
Citação: SÉRGIO, Ana de Lurdes Videira; MATIAS ALVES, José - A retórica dos projetos, as singularidades organizacionais e as lógicas de ação. Revista Portuguesa de Investigação Educacional. ISSN: 1645-4006. Vol. 10 (2011), p. 25-48
Resumo: O estudo realizado permitiu a compreensão e o conhecimento do modo como se articulam os projetos estruturantes da organização escolar, PEE e PCE, e o seu impacto no planeamento da ação pedagógica e na gestão do currículo consubstanciados no mapa anual de atividades. Ao longo do processo de investigação, analisámos as culturas de trabalho e o tipo de lógicas supervisivas presentes, nos departamentos e grupos disciplinares, nas fases de conceção, implementação e avaliação dos projetos atendendo aos constrangimentos e potencialidades sinalizadas pelos atores, bem como às propostas de melhorias enunciadas para o quadro organizacional em presença. A abordagem teórica possibilitou-nos uma incursão sobre os conceitos de escola, autonomia, projeto, supervisão, culturas e modelos organizacionais. Na vertente empírica, o estudo baseou-se numa metodologia qualitativa sustentada na realização de entrevistas semiestruturadas aos atores-chave, análise de conteúdo da esfera documental, observação empírica, constituição de um diário de campo e análise de atas e planifi cações anuais de diferentes grupos disciplinares. O tratamento e a triangulação dos dados colhidos permitiu extrair evidências e encontrar respostas para as questões de investigação inicialmente traçadas. As conclusões retiradas permitiram destacar o carácter essencialmente retórico dos projetos e a sua débil articulação à praxis organizacional. Foi também possível analisar e compreender o conjunto de razões que conduzem, em contexto, ao predomínio de culturas de trabalho pouco colegiais e colaborativas, à débil presença de mecanismos de supervisão e à escassez de culturas de autorregulação e autoavaliação das práticas institucionais.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/11514
Aparece nas colecções:FEP - Artigos em revistas nacionais com Arbitragem / Papers in national journals with Peer-review



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.