Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/11408
Título: Ativação plaquetária e outros fatores condicionantes da resposta à transfusão de plaquetas
Autor: Hortelão, Dina Guiomar Quinteiro
Orientador: Lima, Margarida
Data de Defesa: Set-2012
Resumo: As transfusões de plaquetas (TP) desempenham um papel muito importante no tratamento dos doentes hemato-oncológicos com trombocitopenia, nomeadamente pela sua contribuição em suportar os regimes terapêuticos. Contudo, a resposta é variável e depende de múltiplos fatores relativos às plaquetas e ao doente, e em alguns casos desenvolve-se um estado de refratariedade. Na prática clínica a avaliação da eficácia da TP baseia-se principalmente na resposta clínica e no aumento contagem plaquetária no sangue após a transfusão, utilizando o incremento da contagem plaquetária corrigido (ICPC) e a percentagem de recuperação plaquetária, não sendo avaliados aspetos funcionais das plaquetas transfundidas. A selectina-P (CD62P) parece ser um bom indicador da ativação plaquetária. Esta proteína encontra-se na membrana dos grânulos α das plaquetas não ativadas e, após ativação, com a secreção dos grânulos, passa a ser expressa na membrana plaquetária, o que leva ao reconhecimento e destruição das plaquetas pelos macrófagos. A expressão de CD62P na superfície das plaquetas correlaciona-se positivamente com a ativação e desgranulação plaquetária e com a destruição acelerada das plaquetas circulantes. Neste trabalho foi feita uma revisão da literatura sobre os aspetos estruturais e funcionais das plaquetas, as causas subjacentes à trombocitopenia e a preparação de concentrados de plaquetas para transfusão, assim como sobre os fatores condicionantes da resposta à TP, a avaliação dessa mesma resposta e o desenvolvimento de refratariedade à transfusão. Para além disso, investigou-se se a eficácia da transfusão plaquetária, avaliada pelo ICPC, tinha relação com perfil demográfico e clinico e com as características das plaquetas transfundidas. Relativamente a este último aspeto analisaram-se, para além de outros, o tempo de armazenamento, a similaridade e compatibilidade de grupos sanguíneos entre dadores e recetores, o estado basal de ativação plaquetária e a resposta das plaquetas à ativação induzida pela trombina, avaliada, entre outros, pela expressão de selectina-P nas plaquetas, quantificada por citometria de fluxo. Foram estudados 30 doentes hemato-oncológicos, dos quais 20% evidenciaram refratariedade à TP. Não se observou associação estatisticamente significativa entre o ICPC uma hora após a transfusão com os fatores demográficos e clínicos analisados. Por outro lado, verificou-se que a ativação das plaquetas transfundidas era superior ao esperado, o que pode ter resultado do método de processamento, e que a resposta das plaquetas à trombina diminuía com o tempo de armazenamento das plaquetas transfundidas. Constatou-se ainda que existia uma correlação positiva entre a capacidade de resposta à trombina por parte das plaquetas transfundidas e a capacidade de resposta à trombina das plaquetas do sangue venoso colhido uma hora após transfusão. Palavras-chave: Plaquetas, Trombocitopenia, Transfusão plaquetária, Ativação plaquetária, Refratariedade à transfusão, Citometria de fluxo, Glicoproteínas plaquetárias, Selectina-P.
Platelet transfusions (PT) play an important role in the treatment of hemato-oncological patients with thrombocytopenia, in particular for their contribution in supporting the therapy. However, the response to PT is hightly variable and often multifactorial, depending on platelet-related or patient-related variables. In some cases, the clinical success is very limited, as patients develop a state of platelet refractoriness. In clinical daily practice, assessment of the effectiveness of platelets transfusion in thrombocytopenic patients is based primarily on the clinical response as well as on the evaluation of the increase in platelet counts, using the corrected increment count and the percentage of platelets recovery, but the functional aspect of the transfused platelets are usually not taken in consideration. P-selectin (CD62P) is a good indicator of platelet activation. In quiescent platelets, this protein is located on the inner wall of the α-granules. Platelet activation results in “membrane flipping” where the platelet releases α granules and the inner walls of the granules are exposed on the outside of the platelet; because of that, CD62P becomes expressed on the platelet membrane, leading to recognition and destruction of platelets by macrophages. Thus, CD62P expression on the platelet surface correlates with platelet activation and the accelerated destruction of circulating platelets. In this work, we reviewed the literature on the platelet structural and functional aspects, the causes of thrombocytopenia, the preparation of platelet concentrates, as well as the factors affecting the response to platelet transfusion, the evaluation of this response and the development of a refractoriness state. In addition, we have also investigated whether the effectiveness of platelet transfusion, as measured by the corrected platelet count increment, is related to the clinical and demographic profile of transfused patients, and with the characteristics of the transfused platelets. For the latter, we have analyzed, amongst other aspects, the storage time, the similarity and compatibility between blood groups from donors and recipients as well as, the baseline platelet activation and the platelet response to thrombin, evaluated, among others, by the expression of CD62P quantified by flow cytometry. Thirteen hemato-oncological patients were studied, from which 20% were refractory to platelet transfusion. Regarding the increase in corrected platelet count increment 1 hour after transfusion, there was no statistically significant association with the demographic and clinical factors analyzed. Moreover, the activation of the transfused platelets was higher than expected, probably as a consequence of the processing method, and their responsiveness to thrombin decreased with the storage time. It was further observed that there was a positive correlation between the responsiveness to thrombin of the transfused platelets and the responsiveness to thrombin of the platelets from venous blood collected 1 hour after PT. Key-words: Platelets, Thrombocytopenia, Platelet transfusion, Platelet activation, Platelet refractoriness, Flow cytometry, Platelet glycoproteins, P-selectin
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/11408
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
ICS(P) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dina Hortelão-Dissertação.pdf909,65 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.