Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/10518
Título: Referenciação para unidades de internamento de cuidados paliativos portuguesas : quando?, quem? e porquê?
Autor: Dias, Ana Sofia Silva
Orientador: Caldas, Alexandre Castro
Capelas, Manuel Luis
Palavras-chave: cuidados paliativos
referenciação
unidades de cuidados paliativos
palliative care
referral and consultation
palliative care unit
Data de Defesa: 2012
Resumo: Os cuidados paliativos estão em desenvolvimento no nosso país e no mundo, fornecendo resposta humanizada e interdisciplinar aos doentes/famílias, tanto nas unidades de internamento, como pela acção das equipas intra-hospitalares e de apoio domiciliário. A referenciação para estes cuidados deve preferencialmente ocorrer no momento do diagnóstico de uma doença prolongada, incurável e progressiva, para que se possam detectar precoce e sistematicamente as necessidades não satisfeitas, favorecer a prevenção dos sintomas e fortalecer relações emocionais entre o doente e família, promovendo a dignidade e qualidade de vida dos mesmos. Com o objectivo de caracterizar a referenciação dos doentes admitidos nas unidades de internamento de cuidados paliativos portuguesas, realizou-se um estudo observacional, longitudinal, descritivo, tendo sido aplicado pelo investigador um guião de registo em seis unidades de internamento de cuidados paliativos portuguesas e realizada a colheita de dados através da consulta aleatória dos processos dos doentes admitidos em 2010. Os dados foram tratados com o programa de análise estatística SPSS 19. Os doentes admitidos nas unidades em estudo eram maioritariamente doentes oncológicos, do género masculino, com média de idades de 72,55 anos, que residiam sozinhos ou com outro elemento, sendo o prestador de cuidados maioritariamente feminino e familiar. Os doentes foram referenciados predominantemente para controlo sintomático e gestão de regime terapêutico, tendo o apoio emocional e psicológico, paliação/cuidados de suporte e exaustão do cuidador, apresentado módicas percentagens, no que concerne aos motivos de referenciação. Existiram doentes referenciados em fase final da doença, embora a mediana de sobrevivência no momento de referenciação tenha sido de 36,50 dias, verificando-se que em algumas unidades o doente esperou 430 dias para ser admitido, situação que contribui para a redução da mediana de sobrevivência na admissão, que foi de 11,00 dias. Perante tais resultados torna-se imprescindível continuar a fomentar a formação sobre cuidados paliativos
Palliative care is under development in our country and the world, providing a humane and interdisciplinary response to patients/families, in inpatient units or by the action of intra-hospital teams and home care support. The referral for this care should occur preferentially at the time of diagnosis of a prolonged, incurable and progressive illness, so that we can detect early and systematically the unmet needs, improving symptoms prevention and strengthen emotional relationships between the patient and family, promoting the dignity and quality of life for them. With the objective of characterize the referral of patients admitted to portuguese palliative care units, an observational, longitudinal, descriptive study was developed, being applied by the investigator a registry form in six portuguese palliative care units and collecting data by consulting random clinical records of patients admitted in 2010. The data were processed with the statistical analysis program SPSS 19. Patients admitted to the units in study were mainly cancer patients, male gender, with a mean age of 72,55 years, living alone or with another element, and the caregiver being mostly female and family. These patients were predominantly referred for symptomatic control and management of therapeutic regimen, and the emotional and psychological support, palliative/supportive care and the caregiver's exhaustion, had moderate percentages, regarding the motives for referral. There were referenced patients in the final stage of the disease, although the median survival time of reference was 36,50 days, verifying that in some units the patient waited 430 days to be admitted, a situation which contributes to reducing median survival on admission, which was 11,00 days. Given these results it is essential to continue promoting training in palliative care.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/10518
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
ICS(L) - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Ana Sofia Dias.pdf1,96 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.