Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/10496
Título: René Girard's apocalyptic modernity
Autor: Doran, Robert
Palavras-chave: Apocalypse
Clausewitz
Girard
Terrorism
Total war
Apocalipse
Guerra total
Terrorismo
Data: 2011
Editora: Bond
Citação: DORAN, Robert – René Girard's apocalyptic modernity. Comunicação & Cultura. Lisboa. ISSN 1646-4877. 11 (Primavera-Verão 2011) 37-52
Resumo: This essay examines how René Girard’s most recent book, Achever Clausewitz (2007), expands on Girard’s theory of the sacred to include a more specific and concrete notion of the apocalypse as a historically conditioned concept. In particular, I argue that the idea of “total war” (the kind of war engendered by mass conscription) is crucial to Girard’s critique of Clausewitz, which consists in pointing out the irreconcilability between Clausewitz’s famous formula “war is politics by other means” (i.e., war is contained or limited by politics) and Clausewitz’s idea of the “escalation to extremes” (uncontainable violence). I show how this reading of Clausewitz allows Girard to deconstruct the opposition between archaic (irrational) and modern (rational) violence that defines Enlightenment hope. Finally, I ask if the advent of post-9/11 terrorism, which is a form of total war, might not lead us to rethink the role of international institutions (such as the International Criminal Court) in stemming the explosive potential of non-localized violence.
Este ensaio examina como o mais recente livro de René Girard, Achever Clausewitz (2007), desenvolve a sua teoria do sagrado para incluir uma noção mais específica e concreta do apocalipse como um conceito historicamente condicionado. Em particular, argumenta‑se que a ideia de «guerra total» (o tipo de guerra assente no recrutamento militar em massa) é crucial para a crítica de Girard em relação ao pensamento de Clausewitz, que consiste em apontar a incompatibilidade entre a famosa fórmula de Clausewitz «a guerra é política por outros meios» (isto é, a guerra é contida ou limitada pela política) e a sua outra ideia da «escalada aos extremos» (violência incontida). mostra‑se como essa leitura de Clausewitz permite a Girard desconstruir a oposição entre a violência arcaica (irracional) e a moderna (racional), que define a esperança iluminista. Finalmente, pergunta‑se se o advento do terrorismo após o 11 de Setembro, que é uma forma de guerra total, não nos pode levar a repensar o papel das instituições internacionais (como o tribunal Penal internacional) na contenção do potencial explosivo da violência não localizada
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/10496
ISSN: 1646-4877
Versão do Editor: http://comunicacaoecultura.com.pt/wp-content/uploads/02.-Robert-Doran.pdf
Aparece nas colecções:RCC - 011 - 2011 - Sagrado e Modernidade

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
02.-Robert-Doran.pdf133,47 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.