Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/10469
Título: Ditadura ou revolução?: a herança política e os caminhos incertos dos herdeiros da I República
Autor: Farinha, Luís
Palavras-chave: República Constitucional
Democratização
Partidos políticos
Ditadura (temporária e regeneradora)
Revolução
Resistência Republicana (Reviralho)
Constitutional Republic
Democratization
Politic parties
Dictatorship (Regenerative and Temporary)
Revolution
Republican Resistance ( “Reviralho”)
Data: 2009
Editora: Bond
Citação: FARINHA, Luís – Ditadura ou revolução?: a herança política e os caminhos incertos dos herdeiros da I República. Comunicação & Cultura. Lisboa. ISSN 1646-4877. 8 (Outono-Inverno 2009) 103-124
Resumo: Em 1910, a I República deu corpo às aspirações regeneradoras e patrióticas de um alargado bloco social e político que combatia o decadentismo finissecular e se comprometia, com empenho «missionário», a salvar o país do «atraso português». Porém, desde cedo se verificou que era frágil esse compromisso histórico firmado em 1908-1910 em torno da democratização e da modernização do país. No final da guerra, os republicanos democratas procuraram refundar a República, mas cedo perceberam que a «ditadura era inevitável», sem que conseguissem inverter a situação. Em 1925-1926, limitaram-se a transmitir «legalmente» o poder aos militares, em nome de uma «ditadura temporária regeneradora». Nos anos seguintes, organizaram uma resistência poderosa à Ditadura, mas não conseguiram vencer os ventos da História. Constrangidos por formidáveis dificuldades, os homens abdicaram, por muitos anos, da liberdade em nome da ordem.
In 1910, the Republic and republicans sought to establish a regenerative regime in opposition to what they termed the degeneration of the country in the final years of the monarchy and identifying themselves as the new “missionaries” of the abandoned mother country. Nevertheless, we note how, right from the beginning of the regime, institutional difficulties blocked the reformative policies of Afonso Costa and even those of the dictator Sidónio Pais. At the end of the First World War, republicans tried to reform the regime, but seemed to have understood that “dictatorship was inevitable” given their lack of new political solutions. In 1925- 1926, their ambitions were limited to “legally transferring” power to the military with the justification of establishing a “temporary regenerative dictatorship” that would lead the country to order and freedom. In the next few years, democrats fought the dictatorship repeatedly but without any results. For a long time afterwards, men abdicated freedom in favour of order.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/10469
ISSN: 1646-4877
Versão do Editor: http://comunicacaoecultura.com.pt/wp-content/uploads/05.-Luís-Farinha.pdf
Aparece nas colecções:RCC - 008 - 2009 - Imagens da república

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
05.-Luís-Farinha.pdf185,55 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.