Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/10452
Título: Imagens breves do republicanismo nos textos de imprensa de Eça de Queirós
Autor: Peixinho, Ana Teresa
Palavras-chave: Carta-pública
Conferências do Casino
Socialismo
Republicanismo
Espaço público
Monarquia
Republic
Press articles
Socialism
Data: 2009
Editora: Bond
Citação: PEIXINHO, Ana Teresa – Imagens breves do republicanismo nos textos de imprensa de Eça de Queirós. Comunicação & Cultura. Lisboa. ISSN 1646-4877. 8 (Outono-Inverno 2009) 27-46
Resumo: No presente artigo, analisaremos alguns textos de imprensa de Eça de Queirós, em que o escritor/jornalista expressa opiniões sobre a República, o republicanismo ou o partido republicano. Apesar de não ser um nome que tivesse tido intervenções de relevo no movimento republicano, tendo, como é do conhecimento público, morrido alguns anos antes da implantação da República no nosso país, o certo é que, em cartas, crónicas e panegíricos, o escritor deixa transparecer certas visões, marcadas pela informalidade, sobre as qualidades e os defeitos do novo regime, em germinação há já algumas décadas. Cotejaremos textos epistolares, publicados em jornais na década de 70, com textos posteriores, publicados em revistas a partir do estrangeiro. Esta comparação revelar-se-á muito útil para percebermos algumas revisões de valores e alterações de ideias no que à política diz respeito. De facto, se inicialmente a sua ligação às Conferências do Casino, a sua adesão ao socialismo prodhouniano e a sua ligação a certas personalidades, como Ramalho Ortigão ou Teófilo Braga, podiam indiciar alguma simpatia pelo movimento republicano, os textos escritos na década de 90 são muito esclarecedores quanto ao seu posicionamento ambíguo. No fim de século, Eça é um vencido, um céptico e um desiludido. Como a análise dos textos demonstrará, nenhum dos regimes em causa é visto como saída para o grave estado de crise, apatia e letargia do país.
Eça de Queirós died at a fairly early age in 1900, ten years before the declaration of the Portuguese Republic. Therefore, we cannot develop a precise idea of how he would have reacted to this regime change, what judgment he would have made or what party he would have backed. Nevertheless, throughout his vast body of work, it is possible to map out a set of ideas that while sparse and fragmented allows us to grasp the writer’s position regarding the Republic, republicanism and the Republican Party. What he wrote during his life, both in fictional works and in the press, functions as a sort of storage bank of ideas, opinions and feelings that read together open up insights (of greater or lesser clarity) into the writer’s political thought. In our opinion, this is actually an inerasable feature of his way of positioning himself in the world: Eça always refused to close himself off in dogmatic doctrines or trapped thoughts concerning not only aesthetical and ideological principles but also political thoughts. In this article, we focus mainly on the writer’s press articles as this vast Queirosian production has been subject to less research. We also believe that its historical value, chronotypical and also aesthetical, deserves thorough analysis. Furthermore, Eça’s press articles reflect the writer’s public face and the means by which he actively participated in the construction of a public sphere that was then particularly elitist and restrictive.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/10452
ISSN: 1646-4877
Versão do Editor: http://comunicacaoecultura.com.pt/wp-content/uploads/01.-Ana-Teresa-Peixinho.pdf
Aparece nas colecções:RCC - 008 - 2009 - Imagens da república

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
01.-Ana-Teresa-Peixinho.pdf169,17 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.