Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/10383
Título: Sobre a economia da cultura
Autor: Vilar, Emílio Rui
Palavras-chave: Criatividade
Cultura
Economia da cultura
Indústrias culturais
Creativity
Cultural industries
Culture
Economics of culture
Data: 2007
Editora: Quimera
Citação: VILAR, Emílio Rui - Sobre a economia da cultura. Comunicação & Cultura. Lisboa. ISSN 1646-4877. 3 (Primavera-Verão 2007) 131-144
Resumo: A expressão «economia da cultura» revela uma noção funcional da cultura associada a determinadas actividades económicas relacionadas com a criatividade e os seus respectivos produtos. As indústrias culturais podem definir-se como as actividades que permitem produzir, distribuir e colocar no mercado bens e serviços culturais. Nos últimos anos, assistiu-se à democratização e à industrialização da cultura, questionando-se, no entanto, se isto significa uma melhoria da qualidade de vida ou, pelo contrário, a diminuição do nível qualitativo das manifestações culturais. A questão do papel da cultura e das políticas culturais levanta a questão da sustentabilidade dos mercados de bens culturais. De acordo com a teoria clássica de Baumol e Bowen, o crescimento da produtividade permanece limitado, ou quase impossível, na produção de espectáculos (v.g. ópera, teatro). Assim se coloca a questão do papel do Estado, que, para além da responsabilidade que lhe cabe na defesa do património, surge como indispensável na sustentação de determinado tipo de espectáculos ou de indústrias (v.g. cinema) sem dimensão competitiva.
The expression “economics of culture” unfolds a functional notion of culture connected to some economic activities related with creativity and its products. The cultural industries can be defined as the activities which allow the production, distribution and market placement of cultural goods and services. In recent years, we witnessed the democratization and industrialization of culture, not without questioning however if this means an enhancement of our quality of life or, on the contrary, the downsizing of the quality level of cultural manifestations. The issues of the role of culture and culture policies raise the question of the cultural goods market sustainability. According to the classic theory of Baumol and Bowen, the increase of productivity remains limited, or almost impossible, in live performances (v.g. opera, theater). This issues the role of the State that, apart from its responsibility in the culture heritage protection, appears as essential to the sustainability of certain type of non-competitive performances or industries (v.g. cinema). The State shall assure the necessary infrastructures to the creativity processes, but is questionable if it shall directly subsidize creation, except in the performing arts.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/10383
ISSN: 1646-4877
Versão do Editor: http://cc.bond.com.pt/wp-content/uploads/2010/07/03_07_Emilio_Rui_Vilar.pdf
Aparece nas colecções:RCC - 003 - 2007 - Comunidade Mobilidade

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
03_07_Emilio_Rui_Vilar.pdf124,18 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.