Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/10380
Título: Where are you? A heideggerian analysis of the mobile phone
Autor: Ilharco, Fernando
Palavras-chave: Communication
Heidegger
Information technology
Mobile phone
Ontology
Phenomenology
Comunicação
Fenomenologia
Ontologia
Tecnologia de informação
Telemóvel
Data: 2007
Editora: Quimera
Citação: ILHARCO, Fernando - Where are you? A heideggerian analysis of the mobile phone. Comunicação & Cultura. Lisboa. ISSN 1646-4877. 3 (Primavera-Verão 2007) 59-76
Resumo: This paper is an attempt at clarifying the essential contours of the phenomenon that grounds the developments in contemporary mobile communication: the mobile phone. In so doing our investigation intends to answer the question of what a mobile phone is as such. The paper presents a description of the mobile phone and its contextualisation within some of the works of Martin Heidegger (1889-1976), seeking to uncover the essential mode in which a mobile phone is what it is. Grounding our analysis on the ontology of Heidegger’s Being and Time (Heidegger 1962), we claim that the mobile phone will only show itself as what it is in its being in-the-world where mobile phones are what they are. This analysis is complemented by an exploration of the relevance of another of Heidegger’s notions, that of Ge-stell (Heidegger 1977) as the essence of modern technology, for the understanding of human involvement with mobile phones. Against this ontological background, our analysis points out being-with, bringing together and timing as the essential contours of the mobile phone, all of these suggesting the deeper notions of actual situation and of disembodiment.
Este paper investiga os contornos essenciais do fenómeno sobre o qual assentam os actuais desenvolvimentos na comunicação móvel: o telemóvel. Assim, pretende-se responder à pergunta: o que é, enquanto tal, um telemóvel? O paper apresenta uma descrição fenomenológica do telemóvel, contextualizada por dois dos trabalhos de Martin Heidegger (1889-1976), tentando apontar o modo como no-mundo o telemóvel é o que é. Assentando a análise na ontologia de Heidegger apresentada em Ser e Tempo (Heidegger 1962 [1927]), propomos, neste artigo, que o telemóvel só se nos mostrará tal qual ele é desde que acedido no-mundo onde os telemóveis já são o que são. Esta análise é complementada por uma exploração de uma outra noção Heideggeriana, a de Ge-stell (Heidegger 1977) como essência da tecnologia moderna, visando desta forma obter uma melhor compreensão do envolvimento humano com os telemóveis. Neste contexto ontológico, a nossa investigação aponta as noções de ser-com, de juntar e de timing como contornos essenciais do telemóvel. Estas ideias, por sua vez, sugerem as noções mais fundas de momento e de descorporização como essenciais no fenómeno do telemóvel.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/10380
ISSN: 1646-4877
Versão do Editor: http://cc.bond.com.pt/wp-content/uploads/2010/07/03_03_Fernando_Ilharco.pdf
Aparece nas colecções:RCC - 003 - 2007 - Comunidade Mobilidade

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
03_03_Fernando_Ilharco.pdf162,7 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.