Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/10304
Título: Portuguese retailers'motivations to adopt simplified nutrition labels : a qualitative analysis
Autor: Freitas, Mónica de Jacinto Machado Caldeira da Mota
Orientador: Hogg, Tim
Sottomayor, Miguel
Monteiro, Diogo Sousa
Data de Defesa: 3-Set-2012
Resumo: objetivo deste trabalho é compreender o que determina a adoção de rotulagem nutricional simplificada na frente das embalagens, em particular de refeições prontas, por parte das empresas de distribuição. A componente nutricional dos produtos alimentares é um importante critério de diferenciação em termos de marketing. As empresas alimentares reconhecem que os consumidores têm cada vez mais interesse em melhorar a sua saúde através da alimentação. Os rótulos nutricionais constituem uma forma de disponibilizar informação aos consumidores, no momento da compra, que lhes permite fazer escolhas alimentares mais saudáveis. Na União Europeia a utilização de rótulos simplificados na frente das embalagens não se encontra regulamentada até ao momento. No entanto, durante a última década, em diversos países, as empresas alimentares desenvolveram e adotaram este tipo de rótulos em diversas categorias de produtos. Atualmente a maioria dos distribuidores e cada vez mais produtores alimentares apresentam rótulos nutricionais simplificados nos seus produtos, embora com algumas excepções. De realçar é o facto de se encontrar no mercado uma diversidade de formatos de rótulos simplificados. O que levaria as empresas de distribuição à dispendiosa decisão de adotar estes rótulos se são voluntários? Para responder a esta questão realizaram-se entrevistas semi-estruturadas aos responsáveis pela rotulagem nutricional das maiores empresas de distribuição alimentar a operar em Portugal. Foi feita a análise de conteúdo à informação obtida nas entrevistas utilizando um software específico de análise de conteúdo - NVivo®. O resultado desta análise foi convertido numa combinação de diagramas e texto permitindo relacionar ideias e temas. Os resultados mostram que os distribuidores alimentares adotam rótulos simplificados em resposta à pressão competitiva da concorrência, como forma de antecipar tendências e como parte da política de responsabilidade social da empresa. A diferenciação de produtos constitui também uma motivação para adotar estes rótulos. Este estudo revela também obstáculos neste processo nomeadamente os custos associados e a forma como se revelam as características nutricionais, nem sempre favoráveis, através dos rótulos simplificados. A definição das porções não está regulamentada e tem influência no perfil nutricional que é revelado através dos rótulos simplificados. A resposta das empresas de distribuição à apresentação de informação nutricional resulta do balanço entre benefícios e custos que se pode refletir de várias formas: comunicação com o consumidor através de campanhas de educação alimentar mais ou menos abrangentes, inovação de produtos com melhoria do perfil nutricional e grau de diferenciação do formato adotado. O próximo passo deste trabalho seria a validação dos resultados qualitativos obtidos numa população mais abrangente da indústria. Os resultados poderiam ser relacionados com investigação ao nível das preferências e percepções dos consumidores e orientar futuras decisões no que diz respeito aos problemas de saúde relacionados com a alimentação.
The aim of this research is to understand the determinants of retailers´ adoption of simplified nutrition labels on packaged food categories, particularly ready to eat meals. Nutrition is an important food marketing differentiation criterion. Companies recognize consumers´ interests in improving their health through diets. Nutrition labels represent a way to convey information to consumers at the point of purchase and enable them to make healthier consumption choices. In European Union countries, the display of simplified nutrition labels is not regulated. However, over the past decade food retailers have developed and adopted these labels in a number of countries and food product categories. While now most retailers and an increasing number of food manufacturers adopted nutrition labels, there are some products where labels are still absent. More importantly there is a variety of labels in use. Since the use of simplified nutrition labels is voluntary and costly, why do retailers use them? To start answering this question this study employed a qualitative research approach based in in-depth semi-structured interviews with senior managers in leading Portuguese retail chains. Data from interviews was then content analysed with Nvivo®, a content analysis software. The final coding outcome was converted in a combination of text and diagrams allowing for linking related themes and ideas. The results show that retailers adopt FOP labels as a response to competitor´s moves, pre-empting labelling regulations and as part of the Corporate Social Responsibility. A final reason for the use of FOP labels is product differentiation. This study also reveals some barriers to the adoption of this type of labels: costs and unfolding undesirable characteristics of food products. There seems to be no significant differentiated approach to any particular food category on the adoption of FOP labels. Interesting side issues emerged from results, like the influence of serving sizes in the final nutrition profile disclosed through labels. Serving sizes definition is not regulated. The extent of the response of retailers to simplified nutrition information provision on labels is a result of a balanced evaluation of barriers and motivations. Comprehensiveness of education and communication campaigns, incidence of product innovations to overcome the unfolding of undesirable nutrition profiles and the differentiation of format adopted indicate the extension of retailers´ response to FOP labels adoption. A next step of this research would be the validation of the obtained results in a wider population of food industry decision makers. Results could be compared with current work on consumers’ perceptions and preferences to guide future policy concerning diet related health problems.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/10304
Aparece nas colecções:R - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations
ESB - Dissertações de Mestrado / Master Dissertations

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_Vfinal_28Ago.pdf1,8 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.