Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/10234
Título: A interpretação da criação segundo Paul Ricoeur
Autor: Renaud, Michel
Palavras-chave: Paul Ricoeur
filosofia da vontade
simbólica do mal
criação
começo
separação
acontecimentos fundadores
narrativas fundadoras
tempo mítico e tempo empírico
antecedência e precedência
Paul Ricoeur
philosophy of will
symbols of evil
creation
beginning
separation
founding events
founding narratives
mythical time and empirical time
precedence and antecedence
Data: 2012
Editora: Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa
Citação: RENAUD, Michel - A interpretação da criação segundo Paul Ricoeur. Didaskalia. Lisboa. ISSN 0253-1674. 42:1 (2012) 151-172
Resumo: O tema A interpretação da criação segundo Paul Ricoeur divide-se em duas partes. A primeira analisa de modo sucinto o projecto inicial de Ricoeur (1.1), para compreender como é que foi levado a estudar a questão do mal, numa perspectiva hermenêutica; neste caminho encontram-se os mitos do mal, entre os quais o mito de Adão e Eva (1.2). Muito conhecida, esta interpretação não é aqui objecto de análise. Segue-se então uma breve reflexão geral sobre os conceitos de começo, de nada e de criação (1.3), assim como sobre o conhecimento de Deus na filosofia da religião (1.4). A segunda parte entra no coração do problema, comentando de perto as duas primeiras secções do estudo de Paul Ricoeur «Pensar a criação», incluído no livro Pensar a Bíblia (1998). Esta interpretação centra-se nos dois temas A criação como acto de separação (2.1) e a criação como acto de fundação (2.2). O desafio é, entre outros aspectos, pensar o tempo em relação com a teoria dos «acontecimentos fundadores».
The theme The interpretation of the Creation according to Paul Ricoeur is divided into two parts. The first part succinctly analyses Ricoeur’s initial project (1.1), aiming at understanding the author’s motivation for the study of the question of evil from a hermeneutic perspective. This path leads to the myths surrounding evil, among them the myth of Adam and Eve (1.2) – already widely known, this interpretation is not an object of analysis here. Following this is a brief general reflection on the concepts of beginning, nothingness and creation (1.3), as well as on the knowledge of God within the philosophy of religion (1.4). The second part delves into the core of the issue, by commenting closely on the first two sections of Paul Ricoeur’s “Thinking the Creation”, included in the book Penser la Bible (1998). This interpretation is focused on the two themes: the creation as an act of separation (2.1); and the creation as an act of foundation (2.2). Among other things, the challenge consists of thinking of time in association with the theory of ‘founding events’.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/10234
ISSN: 0253-1674
Aparece nas colecções:RD - 2012 - Vol. 042 - Fasc. 1

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
pp. 151-172_Michel Renaud.pdf312,61 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.