Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/10183
Título: Encore une fois «Jésus et le disciple»
Autor: Manns, Frédéric
Data: 2011
Editora: Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa
Citação: MANNS, Frédéric - Encore une foi "Jésus et le disciple". Didaskalia. Lisboa. ISSN 0253-1674. 41:2 (2011) 29-52
Resumo: O tema do ‘discipulado’ é uma constante em todos os Evangelhos. S. João, no seu texto, apresenta uma grande sobriedade no tema, o que leva os autores a reduzirem a questão ao 1º capítulo (1,35-51. A vocação dos discípulos). Frédéric Manns mostra que o problema não pode limitar-se a esse horizonte textual mas, pelo contrário, ele conhece o seu melhor enquadramento nos cap. 18 e 19, no âmbito da narrativa da paixão e das manifestações do Ressuscitado. Para além da questão da unidade entre o Mestre e o discípulo, estes capítulos mostram-nos todo o envolvimento que decorre da acção e da relação que existe entre os discípulos, desde a menção dos seus nomes e até à descrição das suas atitudes para com o Mestre. É nos capítulos 18 e 19 que o IV Evangelho nos apresenta os ‘paradigmas’ do discípulo na perspectiva do ‘seguimento’, pondo em destaque 3 deles: o ‘discípulo amado’, Pedro e Judas. O IV Evangelho recorre ainda a outras formas de enquadrar o ‘discipulado’ muito para além dos Doze e da narrativa da sua aproximação a Jesus, como é o caso de Nicodemos. A relevância que lhes é conferida na Ceia e na narrativa da Paixão define a forma como a presença do ‘discípulo’ ultrapassa a sua simples menção, carregando um significado profundo que não se esgota no capítulo inicial. Pelo contrário, é nestes textos (paixão e ressurreição) que S. João nos mostra o caminho do discípulo e a riqueza da sua teologia acerca do ‘seguimento de Jesus’.
The theme of ‘discipleship’ is a constant in all of the Gospels. St. John, in his text, presents great sobriety on the theme, which leads authors to reduce the question to chapter 1 (1,35-51. The vocation of the disciples). Frédéric Manns shows that the problem cannot be limited to this textual horizon but, on the contrary, it finds its best framework in chs. 18 and 19, in the context of the narrative of the passion and of the manifestations of Christ Resurrected. As well as the question of the unity between the Master and the disciple, these chapters show us all of the involvement that arises from action and from the relationship between the disciples, from the reference to their names to the description of their attitudes towards the Master. It is in chapters 18 and 19 that the 4th Gospel presents us with the ‘paradigms’ of the disciple from the perspective of ‘following’, drawing attention to three of them: the ‘beloved disciple’, Peter and Judas. The 4th Gospel also has recourse to other forms of framing ‘discipleship’ going well beyond the Twelve and the narrative of their drawing towards Jesus, as in the case of Nicodemus. The relevance conferred upon them at the Supper and the narrative of the Passion defines the manner in which the presence of the ‘disciple’ goes beyond the mere mention of them, placing upon them a profound significance which does not end with the initial chapter. On the contrary, it is in these texts (passion and resurrection) that St. John shows us the road of the disciple and the wealth of his theology concerning ‘following Jesus’.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/10183
ISSN: 0253-1674
Aparece nas colecções:RD - 2011 - Vol. 041 - Fasc. 2

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
pp. 29-52_Frédéric Manns.pdf320,43 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.