Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.14/10123
Título: “Fabricado no Reino Lusitano o que antes nos vendeu tão caro a China” : a produção de faiança em Lisboa, entre os reinados de Filipe II e D. João V
Autor: Pais, Alexandre Manuel Nobre da Silva
Orientador: Sousa, Gonçalo de Vasconcelos e
Data de Defesa: 16-Fev-2012
Resumo: O estudo da manufactura de faiança nas olarias de Lisboa, do final do século XVI até ao estabelecimento da fábrica pombalina do Rato, em 1767, tem enfermado de contradições e variadas polémicas. Tendo sido nesta cidade que se iniciou a produção de louça em técnica de faiança em Portugal, pretende definir-se aqui quais os modelos decorativos e morfológicos então criados, os factores que conduziram ao seu aparecimento e o estatuto dos oleiros ao longo destes quase 200 anos. As áreas de implementação dos centros de manufactura na cidade e o que aí era produzido, definindo referentes que traduzem contactos artísticos com outras linguagens estéticas, salientando a sua originalidade e, por vezes, o seu carácter único, são aspectos fundamentais para o conhecimento desta produção, os quais, neste texto, tornam-se objecto de reflexão. Procura-se, assim, enunciar fluxos demográficos, especialidades oficinais e tipos decorativos ao longo dessa janela cronológica. Outro aspecto sobre o qual aqui se reflecte é o dos materiais e metodologias de trabalho empregues, vertentes que auxiliam a compreensão do grau de sofisticação atingido, para além do alcance que estas peças tiveram na geografia de contactos comerciais estabelecidos então pelos portugueses, com enfoque especial na Europa e nas Américas. Do enunciar da extensa bibliografia que reporta ao tema, passando pelas referências que, no estrangeiro, a ele foram feitas, especialmente no que respeita a trabalhos arqueológicos em que peças destas foram exumadas, ao inventário de objectos em colecções públicas e privadas, em Portugal e no estrangeiro, de tudo se dá notícia, por vezes, em primeira mão. Diversas vias de investigação são enunciadas, algumas que ainda não haviam sido tentadas no que à faiança diz respeito, numa interdisciplinaridade que cruza a pesquisa documental, laboratorial e arqueológica, disponibilizando instrumentos acessíveis para trabalhos subsequentes tais como, bases de dados (em Cd anexo). Uma cronologia ilustrada de uma centena de objectos datados, muitos desconhecidos em Portugal até ao momento, constituirá um auxiliar precioso para a classificação temporal mais rigorosa das peças cerâmicas então produzidas em Lisboa. Um mundo rico e fascinante desenha-se à medida que se reflecte no papel que a faiança teve na sociedade portuguesa, com enfoque no período de Seiscentos, ilustrando uma manufactura vibrante e mais complexa do que seríamos tentados, à primeira vista, a acreditar ter existido.
URI: http://hdl.handle.net/10400.14/10123
Aparece nas colecções:R - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses
EA - Teses de Doutoramento / Doctoral Theses

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Fabricado no Reino Lusitano.pdf125,19 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.